sexta-feira, 1/12/2023

Após propagar fake news, deputado bolsonarista pede para Funai investigar governo Bolsonaro

Após propagar a informação falsa de que yanomamis em grave situação de desnutrição são venezuelanos, o deputado federal Dr. Luiz Ovando (PP) divulgou nota, nesta quinta-feira (26), dizendo que houve “distorção da sua fala” e pede que a Funai investigue o governo de Jair Bolsonaro (PL) por não ter entregue cestas básicas aos indígenas.

“Em resposta à matéria sobre indígenas Yanomami veiculada nas redes sociais da emissora Tv Morena, o deputado federal Dr. Luiz Ovando esclarece que o trecho que circula nas redes sociais destaca apenas parte específica de sua entrevista e afirma que houve distorção de sua fala”, começa a nota. Na sequência, Ovando, que é médico há 47 anos, esclarece que “em nenhum momento afirmou, mas sim questionou, sobre a nacionalidade dos indígenas”.

O deputado, porém, foi bem claro quando disse “eu acho que esses índios que eles não são brasileiros e a gente sabe disso pelas ações que foram feitas. Eu não acredito que eles sejam brasileiros. Acredito que eles sejam venezuelanos”, durante o programa Bom Dia MS, da TV Morena, na quarta (25).

A situação de grave estado de desnutrição e desassistência médica em que vivem os yanomamis foi denunciada pelo site Sumaúma. Segundo dados da reportagem, 570 crianças yanomamis com menos de 5 anos de idade morreram por causas evitáveis durante o governo de Jair Bolsonaro (2019-2022). Os dados são do Ministério da Saúde.

A nota prossegue com o parlamentar bolsonarista solicitando “profunda investigação sobre o caso” e que o superintendente da Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas) explique o porquê da “desnutrição dos indígenas supracitados e o motivo pelo qual não receberam as cestas alimentares do governo de Jair Bolsonaro”.

Mentira

Diante da repercussão da situação em que estão os yanomamis, apoiadores do ex-presidente tentam dissociar do governo Bolsonaro as imagens da tragédia. Para isso, disseminam a mentira de que os indígenas nas imagens divulgadas são venezuelanos e não brasileiros, o que não é verdade.

Informação falsa é creditada ao blogueiro Oswaldo Eustáquio, investigado no inquérito das fake news e das milícias digitais. (Imagem: Reprodução)

O estado crítico da comunidade indígena fez com que o presidente Lula (PT) fosse até o local verificar pessoalmente o problema. O petista declarou que o abandono dos povos yanomamis pela gestão do ex-presidente Bolsonaro é “um crime premeditado” e um “genocídio”.

Após a visita à comunidade, Lula institui o Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento à Desassistência Sanitária das Populações em Território Yanomami. O objetivo do grupo é discutir as medidas a serem adotadas e auxiliar na articulação interpoderes e interfederativa.

CATEGORIAS:

Últimas Notícias

Mais notícias

RIO VERDE: Prefeitura realiza entrega de 250 uniformes a jovens do Instituto Mirim em evento especial

Na noite de quinta-feira (23), a Prefeitura de Rio Verde, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania, promoveu um evento especial...

Representantes da comunidade japonesa são homenageados com a “Medalha Legislativa Haguemo Tomonaga”

Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande realizaram, nesta segunda-feira (27), sessão solene de outorga da Medalha Legislativa Haguemo Tomonaga, em comemoração ao...

Familiares de reféns relatam rotina sob o controle do Hamas

Familiares de Yaffa Adar, a refém mais velha liberada pelo Hamas, e de mais três pessoas sequestradas pelo Hamas relataram ao jornal The Times...

Condição de saúde do Papa é “boa e estacionária”

O Diretor da Sal de Imprensa da Santa Fé/Vaticano; Matteo Bruni disse em relação a saúde do Papa. "Confirmo que a tomografia computadorizada descartou...