quarta-feira, 24/07/2024

Dr. Sandro Benites repudia decisão do STF em descriminalizar o porte de maconha

Durante a Sessão Ordinária desta quinta-feira (27/6), da Câmara Municipal de Campo Grande, o vereador Dr. Sandro Benites repudiou a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) em descriminalizar o porte de maconha no Brasil.

Na última terça-feira (25/6), com a votação favorável dos ministros, Gilmar Mendes, Rosa Weber, Luís Roberto Barroso, Edson Fachin, Alexandre de Moraes e Dias Toffoli, ficou descriminalizado o porte de maconha. A corte também fixou que deve ser de 40 gramas ou seis plantas fêmeas de cannabis a quantidade de maconha para caracterizar porte para uso pessoal e diferenciar usuários e traficantes. 

“Em um momento em que deveríamos estar discutindo a proibição das drogas e penalizações mais severas, o STF descriminaliza o porte de maconha, abrindo ainda mais brechas para que fique “fácil” o seu consumo e deixando próxima a sua legalização. Um absurdo. O STF não deveria legislar. Vai contra os princípios do povo brasileiro, contra a saúde e a segurança todos”, afirmou Dr. Sandro Benites.

Descriminalizar o porte de maconha significa retirar do consumo de drogas o caráter criminoso, isentar, inocentar, ou seja, não penalizar.

Vários estudos mostram que a maconha pode produzir alterações cognitivas, tendo uma maior consequência quanto mais precoce e maior a duração do uso.

A maconha é a substância ilícita mais consumida no Brasil. Cerca de 1,5 milhão de adolescentes e adultos usam maconha diariamente. O dado faz parte do II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (LENAD). Segundo o estudo, 3,4 milhões de pessoas entre 18 e 59 anos usaram a droga no último ano e 8 milhões já experimentaram maconha alguma vez na vida, o equivalente a 7% da população brasileira. Desses, 62% deles tiveram contato com a droga antes dos 18 anos.

“Eu não consigo entender qual o intuito de descriminalizar uma droga que causa: Perda de memória; Comportamentos violentos; Doenças pulmonares e cardíacas; Possível desenvolvimento de doenças psiquiátricas, como a esquizofrenia e outros distúrbios; Além da dependência?”, frisou o parlamentar. “Fora a síndrome amotivacional, caracterizada pela diminuição da energia e da vontade, assim como prejuízo social e ocupacional significativos. Causando também o isolamento social, afastamento do lazer e de outras atividades sociais”, acrescentou.

O parlamentar também comentou sobre o seu trabalho de combate e prevenção às drogas, com o “Projeto Escola Saudável”, em que ele capacita os alunos mostrando a realidade de quem se envolve com substâncias químicas.

“Enquanto estamos diariamente nas escolas, empresas e vários outros lugares, tentando alertar e prevenir sobre os perigos e consequências que as drogas causam, o STF descriminaliza o uso da maconha. Parece que estamos nadando contra a maré. Lamentável essa decisão. Infelizmente, o Brasil sofrerá graves prejuízos”, lamentou Dr. Sandro Benites.

Campo Grande Sem Drogas

Há quase três décadas, enquanto ainda era acadêmico de medicina, o vereador Dr. Sandro Benites iniciou uma jornada exemplar de capacitação e prevenção contra o uso e abuso de álcool, drogas e tabagismo, em Campo Grande. Com um comprometimento incansável, ele dedicou seu tempo e conhecimento para educar os campo-grandenses sobre os perigos dessas substâncias e promover um estilo de vida saudável.

Desde então, Dr. Sandro Benites, que é médico pediatra, nutrólogo e toxicologista, tem liderado uma série de iniciativas com capacitações em escolas, unidades de saúde, empresas, campanhas de conscientização em bairros, entre outros. Sua abordagem combina conhecimento médico com sensibilidade social.

Durante o encontro com os adolescentes, não apenas busca informar sobre os malefícios causados pelas substâncias nocivas, como também mostra inspirações de mudanças positivas de comportamento.

“Esse meu compromisso com a prevenção é algo que vem bem antes do meu mandato político; é uma missão de vida, que exerço há mais quase 30 anos. Em cada capacitação, procuro mostrar à população que existe um futuro livre da dependência e saudável”, explicou o vereador. “Um adolescente longe das drogas condiz com uma família feliz, uma sociedade com mais saúde, segura e com menos violência”, afirmou o parlamentar.

CATEGORIAS:

Últimas Notícias

spot_img

Mais notícias

Com o auxílio do Tecnova, startup de MS desenvolve plataforma de IA para automatizar processos jurídicos

“O que me leva a empreender é ver o impacto positivo da tecnologia na vida das pessoas e na sociedade como um todo”. Essa...

PF prende em flagrante traficantes em Corumbá

A Polícia Federal prendeu duas pessoas pelo crime de tráfico de drogas e apreendeu 67,8 kg de maconha e 56,4 kg de cocaína em...

Segunda pesquisa registrada para as eleições 2024 em Nova Andradina

Por encomenda do site Diário MS News e registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o nº MS-03530/2024, o Instituto Ranking Brasil Inteligência realizou, no período de 16...

Gissley precisa de ajuda com tratamento pré-bariátrica e lipedema

Gissley Nalú, tem 48 anos e mora em Campo Grande-MS, ela sofre de obesidade há cerca de 20 anos, lidando com problemas pulmonares e...