domingo, 14/07/2024

Projeto do Deputado Caravina quer proibir construção de novas rodovias sem acostamentos em MS

Começou a tramitar nas principais comissões temáticas da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) um projeto de lei que obriga a implantação de acostamentos em todas as novas obras rodoviárias no estado.

A proposta, apresentada nesta quarta-feira (10) pelo deputado estadual Pedro Caravina (PSDB), estabelece no artigo 1º que os requisitos técnicos para a construção dos acostamentos deverão seguir as normas do Manual de Implantação Básica do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Essas diretrizes estão de acordo com as exigências do Instituto de Pesquisas em Transportes (IPR) nº 742, que regulamenta as normas aplicáveis a projetos e construções de estradas federais e estaduais, ou qualquer outra norma que venha a substituí-la.

A proposta visa garantir maior segurança e fluidez no tráfego das rodovias estaduais, oferecendo uma área segura para paradas de emergência e manutenção dos veículos.

“A implementação de acostamentos é essencial para reduzir os riscos de acidentes e melhorar a qualidade das nossas rodovias”, destacou Caravina.

O projeto agora segue para análise e discussão na CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), onde deverá ser debatido e votado antes de seguir para o plenário da Casa.

Em sua justificativa, Caravina destaca que mais do que uma política de governo, o projeto é uma política de Estado e vai ao encontro do conceito de “fazer bem feito, para fazer dar certo”, adotado pelo atual Governo de Mato Grosso do Sul como modelo de desenvolvimento do Estado.

O parlamentar justifica a implantação de acostamentos nas rodovias estaduais com base em três principais argumentos que visam a redução dos riscos de acidentes. Primeiramente, ele destaca que a presença de acostamentos serve como uma área de escape para os motoristas, ajudando a evitar colisões frontais.

“Quando um veículo encontra uma situação de emergência, como a possibilidade de uma colisão frontal, o acostamento oferece uma rota de fuga segura, permitindo que o motorista desvie do perigo iminente”. Em segundo lugar, Caravina enfatiza que o acostamento é importante para situações de emergência, onde os veículos podem parar de forma segura sem obstruir a pista de rolamento.

Para o tucano, a falta de acostamentos pode levar a um aumento significativo de acidentes traseiros, já que veículos parados na pista principal representam um obstáculo perigoso para os outros motoristas.

Por fim, o deputado aponta que os acostamentos laterais, pavimentados ou não, são úteis para desviar de animais que atravessam a rodovia e de objetos que possam estar na pista. Segundo ele, a presença de um acostamento permite que os motoristas tenham uma área adicional para manobrar e evitar esses perigos sem precisar frear bruscamente ou fazer manobras arriscadas.

“Assim, a implantação de acostamentos é vista como uma medida essencial para aumentar a segurança nas rodovias estaduais, reduzindo tanto o risco de acidentes frontais quanto traseiros e oferecendo uma alternativa segura para desviar de obstáculos

CATEGORIAS:

Últimas Notícias

spot_img

Mais notícias

Parceria entre Bioparque, Marinha e universidades possibilita expedição técnica-científica no Pantanal

A 2ª edição da Expedição Técnica Científica envolvendo o Bioparque Pantanal, a Marinha do Brasil e instituições parceiras foi realizada em uma das maiores...

As Dez Mais

Quarta, 10 de julho de 2024. Hoje é Dia da Pizza Este programa será ouvido por gente que sabe que: “Quanto mais alto o volume do som,...

As Dez Mais

Sexta, 12 de julho de 2024. Hoje é Dia do Engenheiro Florestal. Este programa será ouvido por gente que sabe que: “Não é a ocasião que faz...

Caminhoneiro é preso com contrabando de cigarros na BR-060

PRF apreendeu 250 mil maços de cigarros contrabandeados na BR-060 em Camapuã. Os policiais abordaram um caminhão acoplado a dois semirreboques. Após checagem dos...