sábado, 13/04/2024

ATENÇÃO PRODUTOR! É hora de se programar para o inverno

Durante o verão, a agricultura passou por problemas com a nova onda de calor, a irregularidade das chuvas e o ataque das lagartas das pastagens. Mas, na pecuária existe um fator restritivo para os bovinos durante o ano, o outono. Esse período de transição que antecede a seca, exige uma atenção das propriedades rurais, pois as pastagens apresentam características distintas na transição do período chuvoso e das secas.

De acordo com o coordenador da ATeG em bovinocultura de corte, Fabiano Pessatti, é fácil observar com a diminuição das chuvas e a aproximação do inverno, a mudança gradativa nas pastagens. “A produtividade dos pastos diminui, as folhas começam a amarelar e a secar, em determinados casos, observa-se a presença de sementes nas pastagens”, explica.

Diante dessa situação, a Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS (ATeG) listou estratégias viáveis para estiagem que é recorrente nessa época do ano. O uso de suplementação mineral adequada para cada categoria de animal, a suplementação proteica e proteico energético, a terminação intensiva a pasto, a recria intensiva a pasto, o planejamento forrageiro como métodos de conservação de volumosos e até a opção dos serviços de engorda terceirizada em boitel, são as mais recomendadas para manter a saúde econômica e a rentabilidade da propriedade de gado de corte nessa época desafiadora para o produtor.

Técnicas como a Recria Intensiva a Pasto (RIP) e a Terminação Intensiva a Pasto (TIP), são estratégias que buscam maximizar o ganho de peso dos bovinos durante a época de seca. Ambas consistem em concentrar os animais em áreas reduzidas de pasto, onde recebem suplementação alimentar adequada para suprir as deficiências nutricionais.

Além disso, tecnologias como o diferimento de pastagem, produção de silagem, feno e feno pré-secado podem ajudar a conter os problemas causados pela seca. “Por essa razão é necessário um planejamento forrageiro e nutricional adequado a realidade de cada propriedade, para evitar sofrimento com a redução da produtividade e o aumento no tempo de permanência dos animais na fazenda, fazendo com que o produtor gaste além do planejado”, finaliza, Pessatti.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul – Julia Nogueira e Vitor Ilis

CATEGORIAS:

Últimas Notícias

spot_img

Mais notícias

ITAPORÃ: Pacco entrega projeto para duplicação da MS-156 entre córrego Canhadão e Cemitério Cristo Redentor.

Durante a agenda com o Secretário de Infraestrutura e Logística de MS Dr. Hélio Peluffo, o prefeito Marcos Pacco apresentou o projeto da duplicação...

Alcinópolis: Zé Teixeira solicita obras de saneamento e lazer

O município de Alcinópolis vem ganhando cada vez mais destaque como destino turístico pelas belezas naturais e pelos sítios pré-históricos. O crescimento traz desafios...

Governo de MS vai capacitar 300 policiais civis para atendimentos a povos originários

A Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública) e a SEC (Secretaria de Estado da Cidadania) vão promover em parceira com a Acadepol (Academia...

Mike Tyson revela físico “rasgado” antes de luta contra Jake Paul

Mike Tyson aos 57 anos exibe físico “rasgado” antes de luta contra Jake Paul.Tyson não se mostra se importar com o fato e fez...